segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

ROLLEMBERG CONTRA A CRISE

O chefe do executivo local, Rodrigo Rollemberg (PSB), se encontrará, nesta segunda-feira (28/12), com governadores de diversos estados brasileiros. A reunião ocorrerá na Residência Oficial de Águas Claras, a partir das 12h.

Segundo nota enviada pelo Palácio do Buriti, o objetivo do encontro – articulado pelo próprio socialista – é discutir a conjuntura política e econômica nacional e, assim, construir uma “agenda comum para que possa melhorar o ambiente econômico do país e a situação dos estados”.

Estão confirmadas as presenças dos governadores do Rio de Janeiro, São Paulo, Maranhão, Alagoas, Pernambuco, Tocantins, Piauí, Bahia, Minas Gerais, Sergipe, Ceará e Goiás.

Crise
O ano de 2015 foi, para todos os estados brasileiros, um ano de orçamento apertado e a carteira vazia. No DF, a situação foi alarmante: contas do Executivo desestabilizadas e o GDF no limite máximo da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Em menos de seis meses, o governo anunciou inúmeras medidas e cortes para frear a crise econômica do DF. Ninguém foi poupado pelo aperto. Rodrigo Rollemberg (PSB) cortou o próprio salário, mas também passou o chapéu e dividiu a fatura com todos os brasilienses. Houve aumento de impostos, venda de imóveis, cortes de cargos comissionados e redução de salários.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

CLDF APROVA ORÇAMENTO DE R$ 41,11 BILHÕES



A Câmara Legislativa aprovou na noite desta quinta-feira (16) o projeto de lei do Executivo que fixa o Orçamento do Distrito Federal para 2016 em R$ 41,11 bilhões, incluindo o repasse do Fundo Constitucional. Com a votação, concluída às 21h, o Legislativo local entra em recesso parlamentar e só retoma suas atividades em 1º fevereiro. A votação do segundo turno e redação final do Orçamento foi o último item apreciado pelos distritais, depois de três dias de votação de dezenas de projetos do Executivo e de autoria dos distritais.


O projeto de lei nº 648/2015, que estima a receita e fixa a despesa do DF para o exercício financeiro de 2016, de acordo com o presidente da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF), deputado Agaciel Maia (PTC), apresenta um valor maior do que Orçamento de 2015, que foi de R$ 37,3 bilhões.


O valor previsto para investimentos no próximo ano é de R$ 1,43 bilhão, registrando uma queda em torno de 2%, em comparação com os valores deste ano (R$ 1,40 bilhão). Os valores dos repasses do Fundo Constitucional do DF, que custeia despesas de educação, saúde e segurança pública, será 3% menor do que 2015, no valor de R$ 12,01 bilhões.


Além do Fundo Constitucional e dos recursos para investimento, o Orçamento é composto ainda por orçamento fiscal (R$ 19,67 bilhões) e orçamento de seguridade social (R$ 12,93 bilhões).


Emendas – Os deputados aprovaram emendas ao Orçamento garantindo recursos para a defensoria pública e para a polícia civil. As emendas haviam sido rejeitadas pela CEOF, mas foram destacadas para votação em separado. Foram aprovadas com 18 votos favoráveis e dois contrários.


Produtividade – No encerramento dos trabalhos, a presidente da Câmara Legislativa, deputada Celina Leão (PDT), agradeceu e elogiou a dedicação dos deputados distritais ao longo do ano. Em sua avaliação, o ano do Legislativo local foi muito produtivo. "Esta Casa contribuiu muito para o Executivo enfrentar a crise financeira", completou.


Funcionamento – Com o início do recesso parlamentar, a Câmara funcionará em horário reduzido, das 13h às 19h, já a partir desta quinta-feira (17). No período de 24 de dezembro a 3 de janeiro a Câmara estará fechada, voltando a funcionar a partir de 4 de janeiro de 2016, ainda em horário reduzido. O funcionamento normal do Legislativo, com horário integral, será retomado a partir de 1º de fevereiro. A primeira sessão ordinária do próximo ano está prevista para o dia 2 de fevereiro, às 15h.


Luís Cláudio Alves - Coordenadoria de Comunicação Social

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

TEMPLOS RELIGIOSOS APROVADO

A Câmara Legislativa aprovou, com 16 votos favoráveis, o PLC 54, que dá o primeiro passo para a regularização dos templos religiosos. São cerca de 600 lotes de entidades de assistência social e religiosa. A medida permite a compra dos terrenos já ocupados em até 240 parcelas, e deve render R$ 50 milhões aos cofres públicos.


MAIS SOBRE O ASSUNTO


Nem a fé escapa. GDF espera arrecadar mais de R$ 50 milhões com regularização de templos religiosos.
As parcelas serão atualizadas de forma anual, tomando por base a variação do Índice Geral de Preços de Mercado (IGPM), mas sem incidência de juros. O benefício é somente para instituições que ocupavam irregularmente terrenos até 2006, listadas na Lei Complementar nº 806, de 12 de junho de 2009.
Aprovado em primeiro turno, o projeto precisa de nova análise antes de seguir para a sanção do governador Rodrigo Rollemberg (PSB). A previsão é de que a votação ocorra ainda hoje.


Lei da Bengala
A aposentadoria compulsória dos servidores do Tribunal de Contas do DF terá o teto estendido de 70 para 75 anos. Seguindo a decisão nacional para as esferas do serviço público, os deputados distritais aprovaram nesta terça-feira (15) o Projeto de Lei Complementar 9/2015, de autoria do deputado Rodrigo Delmasso (PTN), conhecido como “Lei da Bengala”.

O Congresso Nacional incluiu, em 1º de dezembro, a nova regra na Constituição Federal para servidores da União, dos estados e dos municípios. Além dos integrantes do Judiciário, do Ministério Público, das Defensorias Públicas e dos Tribunais e dos Conselhos de Contas. “É a adequação da emenda constitucional aprovada no Congresso. Beneficia os conselheiros, mas pode se estender aos servidores”, afirmou Delmasso.

O conselheiro Renato Rainha, presidente do TCDF, afirmou que a medida traz impactos positivos para o tribunal. “O servidor vai permanecer mais tempo no cargo. Ou seja, não é necessário fazer concurso público para substituir os empregados. Além disso, gera economia, pois, para substituir quem tem um cargo, é preciso pagar a aposentadoria e o novo servidor”, disse.

Metropólis

MARCHA

Sindicalistas que representam servidores - ligados à CUT- participam de uma marcha pró- Dilma Rousseff, hoje, à tarde, em Brasília. Eles dizem que a manifestação é contra o golpe e o ajuste fiscal e pelo fora Dilma. O Dia Nacional de Luta contra o impeachment terá atividades em todo o país. Na capital federal, a concentração terá início às 16 h, em frente a o Estadio Nacional Mané Garrincha, às 18:30h os ativistas caminharão em direção â Esplanada dos Ministérios.

Os sindicatos filiados à CUT, como o simpro-DF, engrossarão as fileiras da passeata.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

REELEIÇÃO NA CLDF: BATE BOCAS E PROVOCAÇÕES

A tentativa de aprovação de Emenda à Lei Orgânica para permitir a reeleição para a presidência da Câmara Legislativa, nesta segunda-feira (14), gerou bate boca em Plenário e foi aprovada em primeiro turno com 16 votos a favor, seis contra e duas abstenções. Distritais reclamaram que foram pegos de surpresa com a colocação da matéria na pauta da sessão extraordinária, que é de interesse da presidente Celina Leão (PDT), que tratou a matéria em segredo até a sessão de hoje. Violência O distrital Chico Vigilante (PT) chegou a acusar a presidente Celina Leão de golpe ao antecipar a votação, que deveria ocorrer nesta terça-feira (15). “Foi uma violência a essa Casa Chico Vigilante (PT) “Foi uma violência a essa Casa, pois a matéria sequer foi discutida. Não permitiram que os partidos se movimentassem e definissem como seus deputados iriam votar. Vamos fazer de tudo para barrar na Justiça essa arbitrariedade, ” atacou Vigilante. O deputado Agaciel Maia explicou que a matéria “atropelou” o rito da Câmara Legislativa ao impedir o debate por parte dos blocos e não ter a publicidade devida. Agaciel disse ainda que, da forma como a matéria foi aprovada, ela poderá ser questionada. “O instrumento que foi usado é legítimo, mas o problema foi na forma como foi feito. Não houve publicidade, que é obrigatória. A matéria não pode ser votada sem os deputados saberem o que estão votando. Eu estava no gabinete e quando cheguei aqui ela já estava em processo de votação. A matéria poderia muito bem ser votada amanhã”, reclamou Agaciel. Reeleição Segundo a oposição, a deputada Celina Leão mantinha a proposta à sete chaves já há algumas semanas enquanto se especulava sobre quantas assinaturas a distrital tinha para levar a proposta ao Plenário. A deputada negou que os deputados tenham sido “atropelados” pelo que foi chamado de tropa de choque da deputada.

Fator on line

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

FUNDO ESPECIAL É APROVADO NA CLDF

Depois de uma reunião de líderes sem acordo, o Governo do Distrito Federal (GDF) conseguiu virar o jogo nesta terça-feira (8/12). Aprovou dois projetos importantes na Câmara Legislativa, colocados em pauta na última hora. Os parlamentares autorizaram ampliar a flexibilização dos fundos especiais do Tesouro para 2016. Ainda passou o reajuste do Imposto Sobre Serviço de Cartórios, que passa a alíquota de 2% para 5%, resultando em R$ 6,6 milhões ao ano para o caixa do Executivo.



MAIS SOBRE O ASSUNTO

Câmara aprova regulamentação dos food trucks e distribuição gratuita do canabidiol
Salários de dezembro dos terceirizados do SLU está ameaçado
Com a decisão, os deputados distritais autorizam o GDF a mexer nos R$ 240 milhões disponíveis em 23 fundos, como fez em 2015. A matéria gerou grande discussão em plenário, devido resistência principalmente do setor cultural quando ao uso dos recursos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC).
Uma emenda do deputado Cláudio Abrantes (Rede), que excluía o FAC do projeto de flexibilização, foi rejeitada. No entanto, o deputado Reginaldo Veras (PDT) lembrou um acordo do governador com o movimento cultural para que o uso do FAC seja proibido em 2017. “O nosso esforço é para que esses recursos não sejam mais contingenciados”.

O secretário adjunto de Relações Institucionais, Igor Tokarski, lembrou que todos os recursos usados em 2015 foram reconstituídos. “Honramos com todos os pagamentos referentes aos fundos. Houve uma emenda querendo destacar o Fundo de Apoio à Cultura, mas foi rejeitada. Nós entendemos que o FAC é fundamental. Não faz sentido deixar imobilizado mais de R$ 45 milhões, sendo que esse dinheiro pode ser usado para auxiliar no pagamento dos servidores”, disse Tokarski.

O PL 754/2015, que aumenta o ISS dos cartórios, faz parte dos 11 projetos de lei estabelecidos pelo Executivo para pagar o reajuste dos servidores em outubro de 2016. Este é o quarto da lista aprovado pelos parlamentares.

METRÓPOLIS DF.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

NOTA LEGAL PARA COMBUSTÍVEL

No dia em que a Polícia Federal deflagrou uma operação para desarticular um cartel de donos de postos de combustível no Distrito Federal e no Entorno, a Câmara Legislativa aprovou, em primeiro turno, projeto de lei de autoria do deputado distrital professor Israel (PV) que institui o Nota Legal para a compra de combustíveis.

A ideia é que o benefício seja aplicado em cima da alíquota do Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e a Prestação de Serviços (ICMS). Em janeiro, a Câmara aprovou aumento da tributação da gasolina de 25% para 28%; e do diesel, de 12% para 15%.

Propostas do Executivo
Na mesma sessão desta terça-feira (24/11), os deputados decidiram destravar quatro projetos de autoria do Poder Executivo que tramitavam na Casa. Umas das matérias — o Projeto de Lei n° 770 — transfere crédito suplementar de R$ 39 milhões para a recuperação financeira da Companhia Energética de Brasília (CEB).

O dinheiro será usado para pagar a dívida que a companhia tem com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Anel) e que quase lhe custou o direito à concessão para a distribuição de energia no DF. A verba será remanejada de outras áreas da própria empresa, como a de geração de eletricidade.

Depósitos judiciais
Os distritais aprovaram ainda o PL n° 783, que autoriza o Governo do DF a utilizar os recursos de depósitos judiciais. A norma, na verdade, é uma extensão da Lei Complementar Federal (LCF) n° 151, que o Congresso Nacional aprovou na quarta-feira da semana passada (18/11), derrubando o veto da presidente Dilma Rousseff à matéria.

A LCF destina 70% do dinheiro acumulado com os depósitos judiciais feitos nas instituições financeiras — como o Banco do Brasil, o Banco de Brasília (BRB) e a Caixa Econômica Federal (CEF) — ao pagamento de precatórios, dívidas que o governo tem com ações judiciais. O restante, de 30%, continuará depositado. No caso do DF, a dívida com precatórios girava em torno de R$ 2,8 bilhões até julho.

No entanto, o artigo 7 da lei dá brecha para que os recursos sejam utilizados em outras finalidades, como pagar dívidas com empreiteiras. A redação prevê que “independentemente das prioridades de pagamento estabelecidas, poderá o estado, o Distrito Federal e municípios utilizar 10% da parcela que lhe for transferida nos termos do artigo 3 para constituição do Fundo Garantidor de Parcerias-Público-Privadas”.

Esse fundo garantidor serve para pagar os custos com grandes corporações que fizeram as obras públicas. É o caso do Centro Administrativo do GDF, em Taguatinga, que foi feito pela Odebrecht e outras quatro empresas.

Ações
Os deputados votaram ainda a proposta que autoriza Terracap, Novacap, CEB, Codeplan, Metrô-DF a alienarem ações que possuem em outras empresas. O governo espera arrecadar, com a vendas dessas cotas, o montante de R$ 15 milhões.

Por fim, o parlamento concedeu a prorrogação do prazo do Programa de Recuperação Fiscal que permite parcelar dívidas atrasadas referentes a impostos, como IPTU, IPVA.

Metropolis.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

FILIPELLI ATACA VIGILANTE

O ex-vice-governador e presidente regional do PMDB-DF, Tadeu Filippelli, reagiu com críticas à suposta informação de que o distrital Chico Vigilante (PT) poderia assumir, nos próximos dias, a liderança da oposição na Câmara Legislativa.

O presidente peemedebista não falou de onde surgiu a informação, mas demonstrou receio caso ela se concretize no futuro. “Essas informações causam um certo desconforto ao PMDB. Tenho muito respeito pelo Chico, mas seu comportamento ultimamente tem sido mais de líder do governo do que de oposição”, criticou Filippelli.

O ex-vice-governador acredita que a aprovação de projetos de interesse do governo com a influência de Chico Vigilante tem enfraquecido os esforços da oposição dentro da Câmara Legislativa. “A postura do Chico Vigilante fragiliza a posição da vertente que faz oposição ao governo dentro da Câmara Legislativa. É só um alerta, nada contra o Chico ou o PT”.

Vigilante

“Quando se tem uma presença forte, pelo bem da cidade, aparecem esses boatos"Chico Vigilante (PT)

O petista nega os rumores e aponta que está, inclusive, próximo de deixar a liderança do PT na Casa para cuidar de seu mandato. “Nunca conversei com ninguém sobre esse assunto. O líder da Minoria – que representa os oposicionistas – é o Bispo Renato Andrade (PR) e não tem por que tirá-lo do cargo”, garante Vigilante. “Quando se tem uma presença forte, pelo bem da cidade, aparecem esses boatos. Eu não preciso de liderança para atuar como venho fazendo. Eu estou até pensando em sair da liderança do PT para cuidar melhor do meu mandato”.

As reuniões de Chico Vigilante com o governador têm causado desconforto não apenas nos membros da oposição, mas também nos governistas. Chico tem sido recebido com mais frequência do que muitos governistas. Ora para tratar da defesa de categorias, como a da micro e pequenas empresas, nesta quinta-feira (19), ora para ajudar com projetos do governo, que muitas vezes não tem o apoio dos próprios governistas.

Saída

A saída de Chico Vigilante da liderança do PT na Câmara Legislativa já é certa. Um acordo firmado ainda no início do ano entre os distritais Ricardo Vale, Wasny de Roure, o próprio Vigilante e, o agora ex-petista, Chico Leite (Rede), previa o rodízio de liderança a cada ano. A informação é confirmada por Ricardo Vale, que afirma que o próximo na linha sucessória será Wasny e caso ele não queira pode ser ele próprio.

Por ser do mesmo partido do ex-governador Agnelo Queiroz (PT), Chico Vigilante era muito próximo de Tadeu Filippelli durante a gestão passada. Mas o afastamento pode estar acontecendo pela intenção declarada do ex-vice-governador de se candidatar ao Palácio do Buriti em 2018. O nome de Vigilante também foi cogitado, mas o próprio petista rejeito a intenção do partido de coloca-lo como líder.

Fato On Line

 

terça-feira, 10 de novembro de 2015

PRIVATIZAÇÃO NO GDF


O governador do DF, Rodrigo Rollemberg, anuncia interesse do GDF em repassar gestão de nove espaços públicos.

Modelo inclui Zoológico, torres de TV, parques e iluminação, diz Rollemberg. Regras para parceria serão feitas em 60 dias; governo vai analisar propostas

O governo do Distrito Federal anunciou que pretende repassar à iniciativa privada a gestão de nove empresas e espaços públicos ou serviços, como o zoológico, as torres de TV, o Centro de Convenções, o Parque da Cidade e a iluminação pública da capital. As propostas serão analisadas por grupos de trabalhos, que devem elaborar em 60 dias as regras para a entrada do capital privado.

O modelo em que isso vai ocorrer ainda não está definido. As empresas poderão dividir os custos com o governo, como Parceria Público Privada, ou garantirem concessão (autorização para gerir durante um tempo determinado).

O governador Rodrigo Rollemberg afirmou que em primeiro momento as companhias interessadas estão convidadas a apresentar projetos, que representem “as melhores ideias” de gestão.

O governador disse que o GDF estuda incluir outros setores neste modelo de gestão. “[O anúncio de apenas nove áreas] não quer dizer que não temos um conjunto de outras áreas em que queremos fazer parceria. Elas só não estão explicitadas neste momento, mas serão em momentos oportunos”, afirmou, citando o Complexo Esportivo do DF como espaço que pode ser incluído no conceito de administração.

Rollemberg informou que empresas que aceitarem fazer contrato com o governo terão de respeitar condições, como a impossibilidade de cobrar pelo acesso do público aos locais. Uma empresa que fique na gestão do Parque da Cidade, por exemplo, não pode cobrar pela entrada de usuários. Ela pode fazê-lo sobre serviços em estabelecimentos comerciais, como quiosques, ou novos investimentos pela empresa.

Segundo o secretário de Economia, Arthur Bernardes, “não se trata de privatização”. “O patrimônio da cidade não será transferido para o particular. A empresa será apenas contratada”, afirmou.

Bernardes disse que GDF já foi procurado por companhias que manifestaram interesse em explorar comercialmente os espaços públicos. Qualquer cidadão pode fazer parte de consórcios que participem da gestão, diz o secretário. Ele não definiu como serão escolhidas as empresas.

Lista de setores com que o governo conta ter aporte do setor privado
Zoológico – Parque da Cidade – Centro de Convenções – Torres de TV – Iluminação pública (conta de luz paga pelo governo) – Parque Tecnológico Capital Digital – Parque de exposição Granja do Torto – Transbrasilia (linhas de alta tensão que passam cerca de Águas Claras e Samambaia)

Do G1DF

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

FORÇA RORIZ

O ex-governador do Distrito Federal , Joaquim Roriz teve uma alteração de pressão na manhã desta quinta-feira (5) durante sessão de hemodiálise na casa dele. Roriz foi transferido em seguida para o Hospital do Coração do Brasil, onde permanece na Unidade de Tratamento Intensivo, em observação, segundo o centro médico.

No local, os médicos constataram uma isquemia. A previsão era de que o ex-governador se submetesse a um cateterismo ainda nesta quinta.

O primeiro atendimento ao ex-governador ocorreu na própria residência. O quadro dele apresentou melhora e a hemodiálise foi suspensa, mas o médico pessoal de Roriz orientou o encaminhamento ao hospital.

O quadro dele era considerado estável e ele estava consciente e conversando, segundo a assessoria. O quadro dele inspira cuidados devido à idade e ao quadro clínico. Roriz tem 79 anos e é diabético e doente renal crônico. Ele passa por sessões diárias de hemodiálise na própria casa. Na tarde desta quinta ele passava por bateria de exames.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

PROFESSORES FAZEM NOVO PROTESTO

Os professores voltaram a se reunir na manhã desta quinta-feira (29) após a noite de protestos e tensão. Cerca de 300 docentes se reuniram no centro de Taguatinga e seguiram até a frente da residência do governador, em Águas Claras, às margens da EPTG. A categoria reivindica o pagamento da terceira parcela do reajuste salarial, suspenso pelo GDF.

O protesto de hoje promete ser pacífico, ao contrário do que aconteceu ontem, quando quatro docentes acabaram presos após confronto com a polícia. O protesto de ontem fechou a Ponte do Bragueto e os acessos à Rodoviária do Plano Piloto.

Reajustes

O governo divulgou o cronograma de pagamento dos reajustes no último dia 23. A intenção é retomar os aumentos apenas em outubro do ano que vem. A decisão, atinge 32 categorias, não agradou os servidores públicos. Entre as categorias em greve estão: professores, servidores da saúde, Detran, DFTrans, entre outros.

CORTE DE PONTO AUTORIZADO

No embate que trava com os servidores públicos em greve, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) cumpriu a ameaça e publicou nesta quinta-feira (29/10) decreto que regulamenta o corte de ponto dos grevistas. A norma determina a adoção de medidas administrativas contra os funcionários que integram as categorias que tiveram a greve decretada ilegal pela Justiça e não retornaram ao trabalho.


MAIS SOBRE O ASSUNTO

Tiro, porrada e bomba. Professores são detidos em protesto e reclamam de agressão de PMs
Fisioterapeutas, nutrólogos e nutricionistas voltam ao serviço. Enquanto a greve da educação ferve, a da saúde esfria.

O decreto, publicado no Diário Oficial do DF, vai além. Também atinge as categorias que cruzaram os braços e que a suspensão dos serviços atinge diretamente a população, mesmo que a Justiça ainda não tenha decretado o movimento ilegal. Caso, por exemplo, do Detran, DFTrans e DER.

Pela norma, os secretários de cada pasta e dirigentes de órgãos afetados estão autorizados a verificar o horário de entrada e saída de cada servidor para identificar aqueles que não estão trabalhando e providenciar o corte de ponto e adotar outras medidas disciplinares.


segunda-feira, 26 de outubro de 2015

SEMANA DO SERVIDOR PÚBLICO

Nos dias 27 e 28 de outubro, a Escola de Governo do Distrito Federal (EGOV) comemora o Dia do Servidor Público com oficinas e palestras para todos os servidores dos órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF).

No dia 27, terça-feira, a EGOV realiza oficinas de sucos e saladas especiais. A primeira acontece pela manhã, das 9h30 às 11h30, com a chef, Mikaelle Nunes, do Senac Gastronomia. Ela ensina como fazer os sucos e explica suas respectivas funções, que ajudam a eliminar toxinas do organismo, melhorar o funcionamento do intestino, ativar o sistema imunológico, aumentar a hidratação do corpo e vitalizá-lo. Já a oficina de saladas especiais é ministrada pela chef Bárbara Frazão, também do Senac Gastronomia, que vai ensinar a preparar diversas saladas, simples e compostas. A atividade ocorre no turno vespertino, das 15h30 às 17h30. 

Ainda na programação do dia 27, a EGOV, em parceria com o Laboratório Sabin, realiza exames a partir das 9h. Na parte da tarde, às 14h, também acontece o curso de Defesa Pessoal, em parceria com a Secretaria da Criança. 

Já no dia 28, a Escola de Governo recebe a palestra sobre Transporte Coletivo e Minimização de Conflitos. Aberta para todos os servidores do GDF, as palestrantes Adriana Brasil e Beatriz Scandiuzzi explanam sobre o papel do DFTrans, sobre os rodoviários e usuários do transporte coletivo e sobre como proceder em situações de conflito. A palestra conta, ainda, com apresentações teatrais, encerrando o evento com a participação do público.

Além disso, na quarta-feira, 28, a partir das 9h será servido um café da manhã, e o Laboratório Sabin estará novamente na Escola realizando exames. Às 10h, acontece uma oficina de cupcakes, em parceria com o Senac. O destaque da programação é a palestra “Carreira de sucesso”, com a consultora Érika Siqueira, que contará com abertura e apresentação do Professor José Wilson Granjeiro. Para finalizar a comemoração do Dia do Servidor, em mais uma parceria com o Senac, a Escola de Governo oferece uma oficina de sushi.
Confira a programação e inscreva-se no link: http://www.escoladegoverno.seap.df.gov.br/sig/.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

GREVISTAS INVADEM A CLDF

Cerca de 60 grevistas do Sinpro-DF, Sindicato dos Professores do DF, invadiram o gabinete da Presidência da  Câmara Legislativa nesta terça (20), os professores estão de greve desde o dia 15, assim como mais de 31 categorias.

Segundo informações, eles estariam reunidos com a presidente da casa, deputada Celina Leão e esperam alguma deliberação daquela casa.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

GDF EXECUTOU MENOS DE 13% DO PREVISTO PARA MELHORIAS EM VÁRIAS ÁREAS

Com previsão orçamentária de R$ 5.381.053.725,62 para fazer melhorias no DF até o fim do ano, o Governo do Distrito Federal (GDF) gastou, até agora, apenas 13% do que estava programado. De janeiro até meados de outubro, o Poder Executivo empenhou R$ 688.791.105,47 para construir ou reformar equipamentos públicos de áreas como transporte, saúde, educação, segurança.

O empenho é um documento que registra o compromisso do governo em reservar dinheiro público para determinada finalidade. Ou seja, embora o orçamento de 2015 tenha destinado mais de R$ 5,3 bilhões de investimentos em benfeitorias para a cidade, o valor empenhado até agora para esse fim é sete vezes menor que o volume previsto inicialmente.

Representantes da construção civil reclamam que o ritmo lento do GDF para investir paralisa as obras, o que acaba refletindo em aumento do desemprego. Lidando com uma crise sem precedentes, o governo diz que a previsão de investimento para este ano foi muito além da capacidade de empenho do GDF. Sem conseguir firmar convênios e financiamentos, o Executivo alega que tem sido ainda mais difícil cumprir a meta orçamentária traçada em 2014.

Pelo pouco que o governo tem executado, deve terminar o ano com a porcentagem menor do que a de 2014, quando o GDF investiu 33% do valor previsto — gastando R$ 1.642.940.866,65 quando a previsão era de R$ 4.871.181.090,41. Em 2013, de R$ 4.357.043.971,90, foram empenhados R$ 2.180.610.380,13, o que representa 50% da previsão.

Este ano, na segurança pública, o GDF estimava investir R$ 233.267.143, mas até agora só conseguiu executar R$ 40.067.127,87. No caso da Educação, dos R$ 289.995.839 planejados no orçamento, foram empenhados apenas R$ 42.824.278,35. A situação da saúde é ainda pior. As melhorias correspondem a apenas R$ 29.874.112 (veja gráfico).

Parte dos recursos destinados aos investimentos são conquistados a partir de convênios, entre eles, com o governo federal, além dos financiamentos bancários. Com o país atolado em uma crise econômica, as parcerias rarearam.

Metrópoles.

DETRAN-DF PODE ENTRA EM GREVE

Os Servidores do Detran-DF (Departamento de Trânsito do Distrito Federal) estão reunidos no estacionamento da sede do órgão neste momento para decidirem se aderem à greve geral ou não. De acordo com a assessoria do Detran, o atendimento ao público será normalizado na unidade na parte da tarde. 

A mobilização é pelo reajuste salarial, conquistado em 2013, que o governo do Distrito Federal afirma não ter recursos para dar continuidade ao pagamento.

Outras categorias do serviço público do Distrito Federal entraram em greve, há duas semanas, entre eles estão: os agentes do DER (Departamento de Estradas de Rodagem), os servidores do Ibram (Instituto Brasília Ambiental), do IML (Instituto Médico-Legal), do Procon (Instituto de Defesa do Consumidor (Procon), Na Hora, SLU (Serviço de Limpeza Urbana) e Vigilância Sanitária.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

JOE VAI PRO GDF

O distrital Joe Valle(PDT) confirmou agora à tarde, que aceitou o convite do governador Rollemberg e assumirá  a Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. 

Quem ficará com a vaga deixada pelo parlamentar é o administrador da Candangolândia; Bandeirante e Park way, Rooselvet Vilela(PSB). 

terça-feira, 13 de outubro de 2015

GDF: NOMES ANUNCIADOS

O Governo do Distrito Federal reduziu de 24 para 17 o número de secretarias. O anúncio foi feito pelo governador Rodrigo Rollemberg na tarde desta terça-feira (13). A supersecretaria, que uniria várias pastas e era ponto polêmico na reforma, não vingou.

Os titulares das pastas, já esperados, devem tomar posse na próxima terça-feira (20). O governador disse não saber ainda qual a economia gerada pela fusão de algumas pastas.

Conforme antecipado pelo Fato Online, a Casa Civil e a Secretaria de Relações Institucionais se fundiram e terão como titular Sérgio Sampaio, atual chefe da Casa Civil. Seu adjunto será Igor Tokarski, que atualmente é o administrador regional do Plano Piloto.

A secretaria de Planejamento se uniu à de Gestão Administrativa e Desburocratização, tendo como titular a atual do Planejamento, Leany Lemos. Alexandre Lopes, atual as Segad, virou adjunto.

As pastas de Economia e Desenvolvimento Sustentável e Turismo também se uniram. O secretário será o atual de economia, Arthur Bernardes, e Jaime Recena, atual do Turismo, fica como adjunto.

A secretaria de Educação se une a Esporte e Lazer. Julio Gregorio será o secretário e Leila Diniz será adjunta de esporte.

Trabalho se juntou a Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. Esta pasta ainda não tem titular. “Pedimos ao PDT que sugira o nome”, disse.

Ficam mantidas independentes as secretarias de Saúde, Segurança, Cultura, Fazenda, Gestão Territorial, Justiça, Meio Ambiente, Criança, Agricultura e Mobilidade.

A Mobilidade será assumida pelo atual secretário de Relações Institucionais e presidente do PSB local, Marcos Dantas. Carlos Tomé, atual da Semob, vai para a chefia de gabinete do governador.

A secretaria de Agricultura, cuja inclusão na supersecretaria foi ponto polêmico, conseguiu se manter independente, após pressão tanto dos movimentos sociais ligados à terra quanto de produtores rurais. “A área rural, embora signifique pouco para a economia da cidade, é de importância fantástica, porque é responsável pelo abastecimento de água, alimentos e por conter o  de urbanização danoso . Sou facilmente convencível com bons argumentos”, disse Rollemberg.

O governador afirmou que precisa economizar R$ 8 milhões com cargos comissionados. A despesa atual mensal com salários desses cargos é de R$ 40 milhões.

HISTÓRIA POLÍTICA: UMA PRIMEIRA VEZ PARA NÃO ESQUECER

UMA PRIMEIRA VEZ PARA NÃO ESQUECER



A festa da democracia também traz sujeira: a propaganda política tomou conta da capital federal na primeira votação direta em Brasília

Há 25 anos, quase 840 mil pessoas ajudaram a escrever a história política do Distrito Federal. Elas participaram da primeira eleição direta de Brasília e viveram ativamente a conquista da autonomia da capital

Em 1990, os eleitores escolheram o primeiro governador da cidade e elegeram os distritais da recém-criada Câmara Legislativa. A autonomia, assegurada pela Constituição Federal, foi o triunfo de uma geração que brigou para escolher seus representantes. A primeira eleição direta do DF foi realizada em uma quarta-feira. Participaram da disputa quatro candidatos ao governo, seis ao Senado, 122 a deputado federal e 406 concorrentes ao cargo de distrital. Integrantes de 28 partidos estavam representados na corrida eleitoral e exatos 839.659 eleitores ajudaram a definir os rumos do DF. À época, o Tribunal Regional Eleitoral imprimiu um número 40% maior de cédulas a fim de resolver imprevistos nas seções. Quase 25 mil pessoas, entre mesários, fiscais e policiais, trabalharam para garantir a realização das eleições.


Apuração dos votos em ginásio da cidade: contagem demorou quatro dias para ser feita, com quase 840 mil eleitores no Distrito FederalO cenário de 1990 lembra a realidade atual da política brasiliense. Na primeira corrida ao Palácio do Buriti, um candidato petista apoiado por Luiz Inácio Lula da Silva disputou o mandato com Joaquim Roriz, à época já um importante chefe da política do DF. Ele estava à frente do Executivo desde 1988, quando assumiu o comando da cidade por indicação do então presidente José Sarney. Vice-governador de Goiás e interventor em Goiânia, Roriz articulou durante meses a nomeação para o governo do DF. Visitou senadores, gabinetes de autoridades.

Em 1988, o então deputado federal Jofran Frejat criticou a indicação. À época, ele afirmou que a escolha era “uma bofetada” na bancada do Distrito Federal. Um grupo se mobilizou em defesa do nome do senador Alexandre Costa (PFL-MA). Maria de Lourdes Abadia, que também representava o DF na Câmara dos Deputados, se opôs ao nome de Roriz e articulou a derrubada da indicação no Senado.


A Polícia Federal monitorou comícios e investigou a possibilidade de um atentado contra Joaquim Roriz durante a campanha de 1990

Em setembro de 1988, o Senado Federal aprovou a indicação de Joaquim Roriz, por 33 votos a favor e 14 contra. Entre os senadores que se opuseram à nomeação estavam Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso e Jorge Bornhausen. Roriz tomou posse como governador biônico quatro dias depois da aprovação no Senado. “Vou adequar o estilo utilizado por mim na Prefeitura de Goiânia à realidade da capital. Lá deu muito certo”, declarou à época.

Fama
Os 18 meses que passou como governador indireto deram a popularidade necessária a Joaquim Roriz. Ele se fortaleceu politicamente com a execução de programas de criação de assentamentos habitacionais e ganhou fama entre a população mais carente. Em 1990, surpreendeu ao assumir o Ministério da Agricultura do então presidente Fernando Collor. Ele se afastou do Palácio do Buriti e passou o cargo para o vice, Wanderley Vallim, a fim de integrar o primeiro escalão da República. Mas o distanciamento da cena local durou pouco: 15 dias depois, Roriz pediu demissão da pasta e anunciou que concorreria ao GDF.

Ele disputou as eleições de 1990 com Carlos Saraiva e Saraiva (PT), Maurício Correa (PDT) e Elmo Serejo (PL) — esse último também já havia sido governador biônico. O PT saiu rachado na disputa. O arquiteto Orlando Cariello era um dos cotados para representar a legenda, mas o médico Carlos Saraiva e Saraiva acabou escolhido como candidato petista. Arlete Sampaio saiu como vice.

O médico teve apoio de petistas importantes até hoje no cenário político, como Chico Vigilante e Geraldo Magela. O então presidente nacional do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, participou da campanha de Saraiva e, em entrevista à época, minimizou o fato de o petista ter um tempo muito inferior de propaganda na televisão. “Não me preocupa que o Roriz possa usar mais de 80 minutos. Mais valem 5 minutos bem trabalhados do que uma hora de programa que só faz cansar o eleitor”, declarou Lula, em 1990.

O então senador Maurício Corrêa reuniu outras forças de esquerda para disputar o Palácio do Buriti. A Frente Popular Brasília, com apoio de partidos como PCdoB, PCB, PDT, PSB e PV, lançou a chapa com forte discurso de oposição ao então presidente Fernando Collor. Corrêa ganhou espaço político no DF depois de comandar a Ordem dos Advogados do Brasil.


Reviravolta
Roriz liderava a corrida, com mais de 55% das intenções de voto, quando o deputado federal e então presidente regional do PSDB, Sigmaringa Seixas, pediu a impugnação da candidatura do ex-governador. O argumento era de que Roriz estava concorrendo à reeleição — o que, à época, era vedado pela Constituição. “Ninguém fez nada por medo. Mas eu não podia ficar calado e ver a Constituição que eu ajudei criar ser violada”, justificou Sigmaringa.

Enquanto o processo tramitou na Justiça Eleitoral, Roriz ficou sem tempo de tevê e não participou dos debates. Foram 13 dias “de exílio”, como ele classificou na ocasião. Aliados chegaram a cogitar a substituição de Roriz por Valmir Campello. Mas os advogados da coligação ganharam no Tribunal Superior Eleitoral, com o argumento de que “autoridade nomeada não é irreelegível justamente porque não foi eleita antes”. Opositores rasgaram exemplares da Constituição em frente ao TSE. Questionado se ficara magoado, Roriz respondeu: “Brasília está acima dessas questiúnculas”.

Liberada pela Justiça, a candidatura ganhou força. Partidos que apoiavam rivais passaram para o lado de Roriz. Até mesmo brizolistas abandonaram a campanha do pedetista Maurício Corrêa para apoiar o favorito. À medida que a campanha de Roriz crescia, intensificavam-se também os ataques. Elmo Serejo, que governou o DF entre 1974 e 1979, era candidato pelo PL e fez duras críticas na tevê. Resultado: a Justiça Eleitoral tirou do ar seu programa.

Em 3 de outubro, os brasilienses foram às urnas, mas o resultado oficial só saiu cinco dias depois. Joaquim Roriz teve 366 mil votos (55,4%) e foi eleito no primeiro turno. “Governar é estabelecer prioridades depois de ouvir o povo. Se populismo for ajudar o povo, sou populista”, declarou o escolhido dos brasilienses.

Fonte: Helena Mader – Correio Braziliense – Foto: Isaac Amorim/CB/D.A.Press – Ivaldo Cavalcanti/CB/D.A.Press – Wanderlei Pozzembom/CB/D.A.Press

ROLLEMBERG ANUNCIARÁ MUDANÇAS NESTA TERÇA

O governador Rollemberg confirma para esta terça-feira mudanças no governo, Rollemberg enfrenta dificuldades para fechar o formato na nova estrutura. Em 15 de setembro, quando anunciou que faria a reforma administrativa, chegou a antecipar que criaria supersecretarias. A ideia era juntar várias pastas em uma só, o que representaria economia de gastos.  A previsão inicial era transformar as atuais 24 secretarias em 16. Já nas administrações regionais, a meta é reduzir de 31 para 24.

Entre elas a junção das pastas de Turismo, Trabalho, Economia e Desenvolvimento Sustentável, Agricultura e Ciência e Tecnologia. Porém, desde então não conseguiu unanimidade em integrar as áreas. “O governo federal, por exemplo, manteve o turismo na reforma administrativa, o que reforça a importância da área num ano pré-olímpico”, defende Recena.

Por enquanto, de confirmado mesmo só a ida do secretário de Relações Institucionais Marcos Dantas, presidente do PSB, para a Secretaria de Mobilidade, no lugar de Carlos Tomé. A pasta de Dantas seria acumulada pelo chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio. Leany Ramos, secretária de Planejamento, deve assumir a pasta de Gestão Administrativa e Desburocratização.

GREVISTAS PODEM TER PONTO CORTADO

O governador Rodrigo Rollemberg afirmou à TV Globo nesta segunda-feira (12) que, se preciso, vai cortar o ponto de servidores que tiverem a greve considerada ilegal. A Justiça do Distrito Federal já decretou a ilegalidade da greve de servidores da Saúde, de agentes penitenciários e de agentes socioeducativos.

"Isso é uma determinação judicial e nós temos que cumprir também a decisão judicial. Então, se o servidor, se a greve é ilegal, o servidor é obrigado a trabalhar. Se ele não for trabalhar, certamente o seu chefe terá que cortar o ponto", declarou Rollemberg.
O Tribunal de Justiça do Distrito Federal decretou na última sexta-feira (9) "ilegal" e "abusiva" a greve dos servidores da Saúde. O desembargador da 1ª Câmara Cível do TJ determinou o retorno imediato dos trabalhadores ao serviço, sob pena de multa diária de R$ 100 mil para cada um dos sindicatos em caso de descumprimento. Cabe recurso à decisão.

O G1 não conseguiu contato com os sindicatos dos Médicos e dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde (SindiSaúde).

A greve por tempo indeterminado foi deflagrada na manhã da última quinta-feira (8) em repúdio à decisão do governador Rodrigo Rollemberg de suspender reajustes salariais, que foram acordados, de forma escalonada, desde 2013.

G1.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

SEM ACORDO, GREVE NESTA QUINTA!

Sem a presença do governador Rodrigo Rollemberg, a reunião dos sindicalistas com representantes do GDF terminou sem acordo e os servidores prometem greve a partir de amanhã. Os funcionários cobravam um cronograma para pagamento dos reajustes salariais concedidos na gestão passada, mas o governo alega que não pode fixar datas para os repasses. Os sindicalistas ficaram revoltados com a ausência de Rollemberg, que foi representado no encontro pelo secretário de Relações Institucionais, Marcos Dantas. “O governador não pode comparecer porque foi visitar cidades atingidas pela forte de chuva de ontem, como a Vila Basevi”, justificou Dantas. Ele explica que não pode divulgar um cronograma enquanto não houver clareza com relação às receitas que estarão disponíveis ao governo em 2016. “Não vamos apresentar propostas sem ter certeza de que poderemos cumprir. O momento ainda é de muita dificuldade financeira”, diz Marcos Dantas. Os sindicalistas prometem endurecer o movimento. “Faremos uma reunião na tarde desta quarta-feira para discutir os rumos do movimento e amanhã haverá um ato em frente ao Palácio do Buriti”, garante o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Administração Direta e Autarquias, Ibraim Yusef. “Não há expectativas de propostas. Não somos pedintes. Estamos apenas exigindo que uma lei seja cumprida. Como governante, ele tem o dever de cumpri-la”, comentou a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues.

ELEIÇÃO DO CONSELHO SOB SUSPEITA

A Secretaria de Criança do Distrito Federal informou na tarde desta terça-feira (7) que, por conta de "inconsistências" detectadas no processo de escolha dos conselheiros tutelares, adiou a divulgação do resultado final dos eleitos. A previsão era de que os nomes escolhidos fossem publicados nesta terça. A secretaria não informou quais foram os problemas encontradas.

Segundo a pasta, que não divulgou a data para informar o resultado da eleição, o edital permite que o resultado seja publicado até 23 de outubro. A Comissão Especial do Processo de Escolha se reunirá com a equipe técnica da Fundação Getúlio Vargas e o Ministério Público para "responder os questionamentos" e divulgar o resultado final dentro do prazo.

NIVER

O nosso parabéns de hoje vai para a ex-primeira dama do DF, Weslian Roriz. Mulher de fibra e fiel escudeira ao esposo, o ex-governador Joaquim Roriz. Dona Weslian, comemorará junto com a família, e claro ao lado do esposo. Parabéns!

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

FILIPELLI EXONERADO

O ex-vice-governador do Distrito Federal e ex-deputado Tadeu Filippelli (PMDB-DF) foi exonerado nesta quinta-feira (1) da chefia de gabinete da secretaria de Relações Instutucionais da Presidência da República, que tem status de Ministério, e é a articulação política do governo Dilma. A saída de Filipelli do cargo faz parte da conclusão do desligamento, há algumas semanas, do vice-presidente Michel Temer (PMDB) da articulação do governo Dilma. A pasta é responsável pelo "relacionamento" do poder executivo com o Congresso Nacional.

O ex-deputado Tadeu Filippelli havia tomado posse no cargo há apenas dez semanas, quando o peemedebista Eliseu Padilha, aliado de Temer, assumiu a chefia da secretaria. Até o início do mês, a ideia era extinguir a SRI, mas a crise política que assombra o governo garantiu que o petista Ricardo Berzoini já tenha assumido informalmente o cargo e deve ser confirmado como ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais nesta sexta-feira (2).

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

NOVO XERIFÃO

A Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou nesta terça-feira, por 17 votos a 7, a nomeação do deputado distrital Rafael Prudente (PMDB) para corregedor da Casa.
“Exercerei essa função com total isonomia, transparência e dentro da lei. A corregedoria não é usada para perseguir deputado”, declarou Prudente no Plenário.
A vaga era disputada também por Cláudio Abrantes (Rede) e Juarezão (PRTB), que abriu mão minutos antes da votação. Abrantes perdeu o apoio do PT na Câmara, depois de deixar o partido para integrar a Rede nesta segunda-feira (28). O único a votar a favor dele foi Wasny de Roure (PT).

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

EMPRESÁRIOS ENTREGAM SUGESTÕES À DISTRITAIS

Empresários, associações e sindicatos do Distrito Federal entregaram nesta segunda-feira (28) um conjunto de 52 propostas aos deputados da Câmara Legislativa. Segundo o grupo, o documento sugere medidas para aumentar a arrecadação do GDF sem reajustar a carga tributária.

"Agilização da concessão de alvarás de funcionamento, de alvarás de construção, de concessão de habite-se. Enfim, essas coisas que a gente está vivendo no dia a dia", afirmou o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do DF (Fecomércio), Adelmir Santana.

As sugestões incluem o combate sistemático à sonegação de impostos e à informalidade no mercado de trabalho, e metas de corte de gastos para o Executivo. A lista cita cobrança em estacionamentos públicos e avanços mais significativos na regularização fundiária.

O documento foi entregue durante um almoço. Dos 24 distritais da Casa, 19 se comprometeram a analisar as sugestões. Nas últimas semanas, o Legislativo não conseguiu acordo para colocar em votação o "pacote anticrise" de Rollemberg, que tem ênfase no aumento dos impostos.

EM UMA SEMANA, PT PERDE DOIS DISTRITAIS

O deputado Cláudio Abrantes tomou a decisão de deixar o PT para se filiar à Rede Sustentabilidade, partido de Marina Silva. Nas últimas semanas, petistas tentavam convencer o distrital a permanecer no partido. Mas Abrantes anuncia nesta tarde (28) os motivos para troca de legenda. A Rede agora já conta com três distritais: Chico Leite, Luzia de Paula e Abrantes. Joe Valle ainda estuda se também vai para o partido ou se permanece no PDT.

domingo, 27 de setembro de 2015

LUZIA DE PAULA CAI NA REDE

Depois de seduzir o distrital Chico Leite, ex-PT, a Rede Sustentável, mais nova sigla, recebe também em suas fileiras, a distrital Luzia de Paula/PEN. Luzia que tem a Ceilândia como reduto eleitoral estava insatisfeita no ex- partido, principalmente pelas condições impostas pelo ex distrital Alírio Neto, que comanda à sigla no DF.

A assessores próximos, à deputada costumava reclamar do número de assessores indicados por Alírio e da falta de liberdade em alguns temas.

Na nova sigla, a parlamentar se sentirá mais à vontade para fazer o que mais gosta, de ajudar o povo, acrescentou um assessor.

LUZIA DE PAULA CAI NA REDE

Depois de seduzir o distrital Chico Leite, ex-PT, a Rede Sustentável, mais nova sigla, recebe também em suas fileiras, a distrital Luzia de Paula/PEN. Luzia que tem a Ceilândia como reduto eleitoral estava insatisfeita no ex- partido, principalmente pelas condições impostas pelo ex distrital Alírio Neto, que comanda à sigla no DF.

A assessores próximos, à deputada costumava reclamar do número de assessores indicados por Alírio e da falta de liberdade em alguns temas.

Na nova sigla, a parlamentar se sentirá mais à vontade para fazer o que mais gosta, de ajudar o povo, acrescentou um assessor.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

SE NAO PAGAR, BRASÍLIA VAI PARAR

Se não pagar vai parar. É com este lema que os servidores do GDF cruzam os braços nesta quinta feira. Eles protestam contra. A suspensão do pagamento dos reajustes a 31 categorias, concedidos na gestão anterior. A equipe do governador Rollemberg diz que não há recursos para honrar os compromissos assumidos- irresponsavelmente, repete a alta cúpula do palácio do Buriti- pelo ex- governador petista, Agnelo Queiroz.

Rollemberg tentou, em vão, evitar que a paralisação se concretize. Os sindicalistas teriam sido abordados por interlocutores do Buriti- e até mesmo pelo próprio governador-, mas não recuaram, tendo em vista que não há proposta para convencer as categorias a continuarem trabalhando.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

CLDF TAMBÉM CORTARÁ GASTOS

A Câmara Legislativa do Distrito Federal devolverá R$ 24 milhões aos cofres do governo, como parte do esforço do Legislativo para ajudar o enfrentamento da crise financeira do governo. O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (22) pela presidente da Câmara, deputada Celina Leão (PDT), após reunião com as lideranças partidárias.
O dinheiro virá de corte de gastos dos gabinetes dos deputados e outras despesas da Câmara.
Segundo Celina Leão, este montante será assegurado já nos próximos dias e o esforço de economia continuará até o final do ano, com a possibilidade de novo repasse de recursos. A presidente informou que os deputados distritais ainda vão definir para que área estratégica do GDF os recursos serão destinados.

Uma das possibilidades em análise é a utilização do recurso para o pagamento do 13º salário de servidores do GDF. O remanejamento do recurso será feito por meio da votação de um projeto de abertura de crédito suplementar no próximo mês.
Celina disse que a ação será coletiva de todos os 24 deputados distritais, que se comprometeram a economizar com correios, combustíveis e outras despesas. Paralelamente, a Câmara também pretende rever os contratos de prestadores de serviço, como vigilância e limpeza. "Desde o início do ano, já estamos reduzindo nossos gastos e estamos enquadrados nos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Mas este novo esforço é para ajudar ainda mais a cidade, auxiliando o governo a enfrentar a crise", justificou a deputada.
Os cortes dependerão de cada gabinete, mas o valor deverá corresponder a aproximadamente R$ 1 milhão de economia para cada distrital. "O corte depende da posição pessoal de cada parlamentar, mas o esforço coletivo é no sentido de colocar o pé no freio e ajudar o estado", completou.
Pacote – Na reunião de líderes também foram discutidas as medidas propostas pelo governador Rodrigo Rollemberg para enfrentar a crise. Mas até o momento os distritais só chegaram ao consenso para votar um único item do pacote do governo, a regulamentação da cobrança de impostos do comércio eletrônico, que não afeta a população e está gerando perda de receita para o DF.

De acordo com a presidente, nesta semana nenhuma medida será apreciada pelos distritais. A votação da regulamentação do comércio eletrônico deverá acontecer na próxima semana, depois que o governo desmembrar este item em um novo projeto de lei. As demais medidas do pacote, como o aumento de impostos e as modificações no regime jurídico dos servidores, ainda estão sendo discutidas pelos deputados, sem acordo para votação no momento.
CLDF.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

FUSÃO

O governo reduziu a estrutura do primeiro escalão de 24 para 16 secretarias. A medida integra o pacote de arrecadação do governo para tentar tirar o DF da crise. A iniciativa se junta ao corte de cargos comissionados; à redução de 20% do salário de Rollemberg, do vice governador, dos secretários e dos administradores regionais; do aumento do valor venal do IPTU; entre outros.

 Com as mudanças, nomes fortes do PSB — como o de Marcos Dantas e Jaime Recena, presidente e vice da sigla, respectivamente — podem ser rebaixados. O GDF tem 15 dias para anunciar os nomes dos novos secretários. Rollemberg já havia visto mudanças nas suas secretarias: as saídas de Hélio Doyle da Casa Civil, de Leonardo Colombini da Fazenda, de Antônio Paulo Vogel Gestão Administrativa e Desburocratização, de Paulo Salles da Ciência e Tecnologia, de João Batista de Sousa da Saúde e de Georges Michel do Trabalho. Agora, o GDF passa por uma reforma administrativa. Confira, em tópicos, as mudanças: – Casa Civil e Secretaria de Relações 

Institucionais se juntam e passam a ser Secretaria de Governo e Relações Institucionais; – Secretarias de Meio Ambiente e de Gestão do Territórios e Habitação se fundem e viram Secretaria de Meio Ambiente, Gestão de Territórios e Habitação; – Secretarias de Trabalho, de Economia e Desenvolvimento Sustentável, de Turismo, de Agricultura e de Ciência e Tecnologia passam a ser uma só: Secretaria de Trabalho, Turismo, Agricultura, Ciência e Tecnologia e Desenvolvimento Sustentável; – Secretarias de Educação e de Esporte viram Secretaria de Educação e Esporte; – Secretarias de Desenvolvimento Humano e Social e de Políticas para Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos são condensadas na Secretaria de Políticas Afirmativas e Desenvolvimento Social.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

CRIANÇAS DESAPARECIDAS

Projeto do distrital Bispo Renato foi aprovado nesta terça, 8 pela Câmara Legislativa.
Ficam os órgãos e as entidades públicas do Distrito Federal obrigados a inserir, em seus sites, atalhos para bases de dados contendo fotografias de pessoas desaparecidas.

DISTRITAL TENTA IMPEDIR AGNELO DE ASSUMIR CARGO

O gabinete do distrital Raimundo Ribeiro (PSDB) oficiou o Palácio do Buriti, nesta terça-feira (8), para que o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) não assine o termo de cessão do ex-governador Agnelo Queiroz (PT), que foi requerido pelo governo federal.

No ofício o tucano aponta, entre as justificativas para que Agnelo não seja cedido, o fato de o ex-governador estar sendo investigado pelo MPDFT (Ministério Público do DF e Territórios) e pela Polícia Civil, além de estar respondendo a diversos processos nas áreas civil, criminal e administrativa.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

ROLLEMBERG ANUNCIA INVESTIMENTOS NO DF

Com o objetivo de dar maior mobilidade a quem entra e sai de Vicente Pires, será construído um conjunto de três acessos próximo à Rua 5, no Lote 7. Um passará sob a Via Estrutural no sentido Plano Piloto-Taguatinga, outro no sentido oposto e um terceiro debaixo da via marginal. Motoristas não precisarão ir até o viaduto do Pistão Norte para chegar à região administrativa.

A ordem de serviço para a elaboração do projeto foi assinada na manhã desta terça-feira (8) pelo governador Rodrigo Rollemberg, bem como as de pavimentação e drenagem de águas pluviais dos Lotes 6 e 7, na Gleba 3.

As intervenções nos dois lotes custarão R$ 68,4 milhões e devem durar 18 meses. Posteriormente, mais nove lotes receberão infraestrutura.
Para todas as obras em Vicente Pires, o governo conta com R$ 397,6 milhões em financiamentos da Caixa Econômica Federal — vindos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Pavimentação e Qualificação de Vias Urbanas, do Ministério das Cidades. Brasília dará a contrapartida de R$ 69 milhões, totalizando R$ 467 milhões para a região. O contrato com a União estabelece que, se as obras não começarem até março de 2016, os investimentos podem ser cortados.

 Por isso, o governo de Brasília acelera a retirada de ocupações que impedem benfeitorias. São removidas, também, aquelas que ficam em áreas destinadas a unidades como delegacias, hospitais e escolas.
Agência

ROLLEMBERG ANUNCIA INVESTIMENTOS NO DF

Com o objetivo de dar maior mobilidade a quem entra e sai de Vicente Pires, será construído um conjunto de três acessos próximo à Rua 5, no Lote 7. Um passará sob a Via Estrutural no sentido Plano Piloto-Taguatinga, outro no sentido oposto e um terceiro debaixo da via marginal. Motoristas não precisarão ir até o viaduto do Pistão Norte para chegar à região administrativa.

A ordem de serviço para a elaboração do projeto foi assinada na manhã desta terça-feira (8) pelo governador Rodrigo Rollemberg, bem como as de pavimentação e drenagem de águas pluviais dos Lotes 6 e 7, na Gleba 3

As intervenções nos dois lotes custarão R$ 68,4 milhões e devem durar 18 meses. Posteriormente, mais nove lotes receberão infraestrutura.

Para todas as obras em Vicente Pires, o governo conta com R$ 397,6 milhões em financiamentos da Caixa Econômica Federal — vindos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Pavimentação e Qualificação de Vias Urbanas, do Ministério das Cidades. Brasília dará a contrapartida de R$ 69 milhões, totalizando R$ 467 milhões para a região. O contrato com a União estabelece que, se as obras não começarem até março de 2016, os investimentos podem ser cortados. Por isso, o governo de Brasília acelera a retirada de ocupações que impedem benfeitorias. São removidas, também, aquelas que ficam em áreas destinadas a unidades como delegacias, hospitais e escolas.

Agência

domingo, 30 de agosto de 2015

ROLLEMBERG É APLAUDIDO EM SOBRADINHO

O governador Rodrigo Rollemberg testou a sua popularidade neste fim de semana, e de forma muito especial.

No sábado compareceu pela manhã a uma solenidade no Centro Olímpico da Ceilândia, acompanhado do líder do governo,  distrital Júlio César/PRB, andou pelo centro, tirou fotos, e até ensaiou cobranças de pênaltis com o distrital.

Mais tarde em Sobradinho, prestigiou a outra solenidade de renovação do Projeto Jovem Candango, onde foi aplaudido por cerca de 1000 mil jovens.

Aos poucos, o governador vem conseguindo impor um ritmo novo e arrojado, tudo para recuperar a popularidade e garantir bons resultados no governo.

domingo, 23 de agosto de 2015

MAGELA COM ROLLEMBERG

O ex-deputado federal, Geraldo Magela reapareceu depois da vexamosa terceira posição ao Senado nas eleições de 2014, onde Reguffe se elegeu.

lançamento do residencial Riacho II. Onde Rollemberg fez a entrega dos 864 apartamentos.
O governador Rollemberg estava discursando, quando foi avisado da presença do ex- Secretário de Habitação, imediatamente interrompeu a fala e convidou Magela ao palanque montado para o evento, enquanto o cerimonial Dizia: Este é o governo de Brasília! Governando para todos, sem distinção de raça, cor, religião!

Segundo a assessoria do governador, não existe nenhuma aproximação com o ex- deputado Magela.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

NA TORCIDA

O distrital Ricardo Vale/PT está animado com a suposta ida do distrital Doutor Michel para o TCDF. Filiado ao PT, mesmo partido de Wasny, o outro concorrente na disputadíssima cadeira ao Tribunal, Ricardo Vale, herdeiro do irmão Paulo Tadeu, tem como principal base a cidade de Sobradinho, a mesma de Michel, nos bastidores, dizem que Vale torce contra o partidário, mais no plenário tem defendido o petista. Ele está na torcida.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

CLDF APROVA 52,8 MILHÕES PARA TRANSPORTE

Após dois dias com plenário vazio, a Câmara Legislativa conseguiu aprovar nesta quinta-feira (13) o repasse adicional de R$ 52,8 milhões à Secretaria de Mobilidade para pagar as faturas de agosto com as empresas de ônibus.

O texto vai à sanção do governador Rodrigo Rollemberg, que deverá agilizar o processo para garantir que o dinheiro chegue à pasta até o fim deste mês.

O pedido de crédito suplementar estava pendente desde junho. Na terça (11), o tema foi aprovado pela Comissão de Orçamento e Finanças, mas não houve deputados suficientes no plenário para a votação. A situação se repetiu no dia 12/quarta.

Na terça, o secretário de Mobilidade, Carlos Tomé, precisou ir à comissão para justificar o pedido do dinheiro e demonstrar o "desequilíbrio financeiro" alegado pelo GDF. Tomé adiantou aos deputados que, além dos R$ 52,8 milhões, terá que pedir mais R$ 116 milhões para fechar o ano.

A análise do crédito nesta quinta marcou a primeira votação da Câmara em plenário desde o retorno do recesso, no dia 3 de agosto.

G1.

BRASÍLIA GANHARÁ ATERROS

Por meio de uma parceria pioneira, os municípios goianos da região do Entorno do Distrito Federal vão ganhar três aterros para o tratamento dos resíduos sólidos gerados pelos mais de 1 milhão e 500 mil habitantes da segunda região mais populosa de Goiás.

O anúncio foi feito ontem pelo governador Marconi Perillo, durante reunião com o governador do DF, Rodrigo Rollemberg, no Palácio dos Buritis (sede do GDF), em Brasília (DF), que contou com a presença de 14 prefeitos goianos e representantes do governo federal e dos dois estados.

A construção dos aterros na região do Entorno do DF é consequência da lei 12.305/2010, que cria o Plano Nacional de Resíduos Sólidos e das Águas Pluviais e obriga todos os municípios do País a extinguirem seus lixões a céu aberto e a criarem os aterros sanitários até 2019.

Goiás e Distrito Federal fundaram o chamado Consórcio de Manejo de Resíduos Sólidos e das Águas Pluviais (Corsap), em 2013, o primeiro consórcio público do País com o objetivo de implementar a política de resíduos sólidos de uma região.

No encontro, os governadores reinstalaram os trabalhos do Consórcio e deram execução aos trabalhos. Marconi explicou que há um aterro em execução em Planaltina, há outro em construção em Águas Lindas e um terceiro será construído no Entorno Sul do DF (Região de Luziânia). “Tudo será executado em parceria entre Goiás, Distrito Federal e municípios.

Vamos colocar em prática o que estava no papel a partir de agora e resolver a questão do lixo e das águas pluviais. Isso tem uma importância enorme, do ponto de vista social e econômico, para a segunda região mais densa do Estado” destacou.

 

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

QUITANDO DÍVIDAS

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal estuda usar o dinheiro do Fundo de Saúde repassado pela União em 2014 para quitar parte das dívidas daquele ano com fornecedores de bens e de serviços — avaliada em R$ 377 milhões. A ideia surgiu em reuniões entre técnicos da pasta e do Ministério da Saúde durante a vigência do termo de cooperação técnica assinado pelo governador Rodrigo Rollemberg e o ministro Arthur Chioro, em janeiro.

A subsecretária de Planejamento, Regulação, Avaliação e Controle, da secretaria, Leila Bernarda Donato Gottems, explica que foi criada uma metodologia para analisar os blocos de financiamento do fundo e apurado o superávit do recurso referente ao ano passado. “Sobrou dinheiro em alguns e faltou em outros; mas como esses montantes são muito engessados, não podemos remanejá-los”. A intenção é usar a sobra de 2014 (R$ 122 milhões) para pagar dívidas com fornecedores. “Temos de achar uma saída que não vá contra o que rege o Fundo de Saúde”, diz.

A dívida que a Secretaria de Saúde deixou em 2014 com fornecedores tem grande impacto nas negociações deste ano. As empresas não querem mais participar das licitações para a manutenção de equipamentos e a aquisição de medicamentos e de materiais médicos, porque o Executivo ainda deve dinheiro a elas. "Isso nos deixa sem opções de compra”, afirma a subsecretária.

A possibilidade de reorganizar os recursos foi reforçada com a publicação da Portaria nº 1.073, do Ministério da Saúde, de 23 de julho de 2015. Na prática, o documento permite que as secretarias estaduais e a do DF utilizem o superávit referente ao ano anterior para o pagamento de dívidas dentro do mesmo bloco de financiamento. “Não poderemos passar dinheiro destinado à assistência primária para a quitação de débitos em hospitais, por exemplo, mas vamos conseguir usar as sobras de cada bloco para quitar dívidas dentro deles”, destaca o diretor-executivo do Fundo de Saúde do DF, Ricardo Cardoso.
G1.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

TCDF: HOUVE DESCUMPRIMENTO DO GOVERNO AGNELO


O levantamento indica um ocorrência de, pelo menos, R$ 173,4 milhões de despesas nos últimos oito meses de mandato

O Tribunal de Contas do Distrito Federal realizou uma auditoria para analisar as contas do Governo em 2014 e apontou um possível descumprimento do artigo 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal. O levantamento indica um ocorrência de, pelo menos, R$ 173,4 milhões de despesas nos últimos oito meses de mandato do ex-governador Agnelo Queiroz. 

Segundo o TCDF, o Governo do Distrito Federal teria feito despesas, no período de 1º de maio a 31 de dezembro do ano passado, com parcelas para 2015, mas sem deixar dinheiro suficiente para pagá-las.

O ex-governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz teria omitido também um valor de R$ 2,2 bilhões relacionado à folha de pagamento de pessoal, aquisição de insumos, realização de obras e prestação de serviços que foram executados. Esse valor não teria sido pago, nem registrado na contabilidade. E 47,6% dos R$2,2 bilhões estão relacionados as despesas com as folhas de pagamento das Secretaria de Educação (SE/DF) e da Secretaria de Saúde (SES/DF), somadas às do Instituto de Previdência dos Servidores do DF.

O TCDF concedeu um prazo de 15 dias para que o ex-governador e os titulares da Secretaria de Planejamento e Orçamento e da Subsecretaria de Orçamento; da Secretaria de Fazenda e da Subsecretaria do Tesouro/SEF no exercício de 2014 apresentem esclarecimentos sobre as irregularidades encontradas.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

AGNELO, TRISTE FIM!

O ex-governador Agnelo Queiroz entregou atestado e prorrogou até 12 de agosto o afastamento do trabalho na rede pública de saúde do Distrito Federal. Ele cumpriu licença-prêmio entre o fim do mandato e 31 de julho e deveria retomar as atividades como médico na segunda-feira (3).

Durante o período, o ex-gestor esteve em Buenos Aires e em Miami.

A Secretaria de Saúde não informou se ele continuará lotado no Hospital Regional do Gama. Com baixa popularidade, Agnelo não chegou nem ao segundo turno das eleições de 2014.

G1.

terça-feira, 4 de agosto de 2015

RORIZ, CIDADÃO DE BRASÍLIA

Governador do Distrito Federal por quatro vezes e largamente associado à história das últimas três décadas da capital, Joaquim Domingos Roriz receberá, hoje (04), o título de cidadão honorário de Brasília. A homenagem da Câmara Legislativa foi proposta ainda no ano de 1999 pelo então deputado distrital José Rajão. Dezesseis anos depois, o título será entregue por requerimento do deputado Juarezão (PRTB), em solenidade às 15h no Memorial JK.

Joaquim Roriz nasceu em Luziânia (GO), no ano de 1936. Grande agropecuarista da região, exerceu cargos políticos desde a década de 70, de vereador da cidade a deputado estadual e deputado federal por Goiás. Em 1988 foi indicado governador do Distrito Federal pelo então presidente da República José Sarney. Em 1990, foi ministro da Agricultura e Reforma Agrária do governo Fernando Collor. Foi eleito governador do DF em três oportunidades, de 1991 a 1994, de 1999 a 2003 e de 2003 a 2006. Foi eleito senador pelo DF em 2006, cargo que renunciou no ano seguinte.

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

IPI PARA BICICLETAS

O Deputado Augusto Carvalho apresentou na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 1466/2015, que desonera as operações com bicicletas, suas partes, peças e acessórios, do pagamento do Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI, da Contribuição para os Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público – PIS/PASEP e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social – COFIN.

O objetivo do Projeto é incentivar a produção e a venda de bicicletas, tendo como consequência uma sociedade mais saudável, pois irá incentivar a atividade física e diminuir os índices de obesidade da população. De acordo com Augusto Carvalho,“quanto mais o Poder Público estimular esse transporte alternativo, melhor será para todos”.
Assessoria.

MINISTÉRIO PÚBLICO

Já está na internet uma nova ferramenta para acompanhar a investigação sobre os motivos da crise financeira do Distrito Federal. As informações estão no portal do Ministério Público do DF, que coordena uma força-tarefa que apura as denúncias. O endereço é www.mpdft.gov.br. A força-tarefa é composta por procuradores e promotores de Justiça, em conjunto com o Ministério Público do Trabalho e o Ministério Público de Contas.

 As investigações começaram em janeiro e já resultou em três ações judiciais de improbidade. Um dos resultados do trabalho da força-tarefa foi a suspensão liminar do uso de verba pública para a etapa Brasília da Fórmula Indy, no Autódromo Nelson Piquet. A equipe do Ministério Público do DF encontrou irregularidades no financiamento do evento e bloqueou os bens dos gestores públicos envolvidos, entre eles o ex-governador Agnelo Queiroz. 

 A força-tarefa do Ministério Público do DF também responsabilizou Agnelo Queiroz e outros gestores públicos por irregularidades na licitação de ônibus, na construção do Centro Administrativo do Distrito Federal e por prestar informações falsas sobre as verbas para pagar salários de servidores públicos.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

PERFIL DO NOVO SECRETÁRIO DE SAÚDE

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) vai anunciar nesta quinta-feira (23/7), às 15h, o novo secretário de Saúde do Distrito Federal. O escolhido não é médico. No estilo José Serra no Ministério da Saúde, Rollemberg escolheu um gestor.

Consultor do Senado, especialista em Orçamento, Fábio Gondim, 47 anos, foi secretário de Gestão e Previdência do governo de Roseana Sarney (PMDB), de 2011 a abril de 2014, quando se desincompatibilizou para se candidatar a uma vaga de deputado federal pelo PT no Maranhão. Ele não se elegeu.

PERFIL DO NOVO SECRETÁRIO DE SAÚDE

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) vai anunciar nesta quinta-feira (23/7), às 15h, o novo secretário de Saúde do Distrito Federal. O escolhido não é médico. No estilo José Serra no Ministério da Saúde, Rollemberg escolheu um gestor.

Consultor do Senado, especialista em Orçamento, Fábio Gondim, 47 anos, foi secretário de Gestão e Previdência do governo de Roseana Sarney (PMDB), de 2011 a abril de 2014, quando se desincompatibilizou para se candidatar a uma vaga de deputado federal pelo PT no Maranhão. Ele não se elegeu.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

AGNELO CONDENADO

A Justiça do Distrito Federal acatou ação de improbidade administrativa contra o ex-governador Agnelo Queiroz e o ex-administrador de Taguatinga Anaximenes Vale Santos. Eles são acusados pelo Ministério Público de facilitar a aprovação irregular do projeto de construção e da carta de habite-se para o novo centro administrativo do DF, em 2014.

A decisão foi proferida na última quarta-feira (15) pelo juiz da 7ª Vara de Fazenda Pública, José Eustáquio de Castro Teixeira, e divulgada nesta segunda (20). Com isso, o processo começa a tramitar na Justiça e os ex-gestores se tornam réus. Eles serão chamados a prestar esclarecimentos, mas não há data prevista para o julgamento.

Advogado de Agnelo, Paulo Guimarães afirmou ao G1 nesta segunda que já tinha tomado conhecimento da sentença, mas disse que ainda não foi notificado oficialmente. Segundo ele, a defesa já fez uma "longa exposição com farta documentação" sobre a regularidade dos processos, na fase preliminar, e deve aprofundar os esclarecimentos. A reportagem não conseguiu contato com a defesa de Anaximenes Santos.

G1.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

ORQUESTRA

A Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, em parceria com o Hospital Sarah Kubistchek e o Centro de Convivência Mozart Parada de Taguatinga (COSE), realiza, no dia 17 de julho, às 9h da manhã, concerto especial para 30 alunos atendidos pela entidade assistencial.

O concerto será apresentado no teatro da unidade Sarah Centro(501 sul).

sexta-feira, 3 de julho de 2015

JOVENS

Para o Senador Cristovam Buarque PDT/ DF, a extensão da aposentadoria compulsória aos 75 anos para servidores públicos- aprovada na câmara dos Deputados nesta semana- é uma medida que já deveria ter sido tomada há muito tempo. "Os velhos que se mantêm experientes devem ter o direito de continuar trabalhando. Só espero que isso não atrapalhe o ingresso dos jovens no serviço público, já que, é preciso que os servidores se aposentem para que novos cheguem, acrescentou.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

GRAVAÇÕES COMPLICAM DISTITAL

Documentos do Ministério Público e da Polícia Civil trazem detalhes do suposto envolvimento da deputada distrital Telma Rufino com um grupo acusado de lavagem de dinheiro para financiamento de campanhas eleitorais no Distrito Federal. As investigações da Operação Trick revelaram trechos de conversas dela com o dono do supermercado Tático. A TV Globo tentou falar com a parlamentar, que não quis comentar o assunto dizendo que ainda não prestou depoimento. As escutas telefônicas são de fevereiro do ano passado e mostram Edgar Éneas da Silva, que segundo a apuração era o operador do esquema , explicando para Tema como ela deveria conversar com o empresário Abadia Tático. “Depois que contar isso aí, tá perdendo a liderança, que você pode falar que gastou os cartão... Aí você dá uma choradinha de leve (sic).” Dois meses depois, Telma fala com Silva que “o administrador tá lá com o cara, com o presidente da Terracap (sic)”. Para a polícia, a conversa foi com o ex-administrador regional de Ceilândia. Para a Polícia Civil, Telma diz que conversou com o empresário e que arrumaria para ele comprar o terreno. O grupo Tático foi o maior doador da campanha da distrital. A página de prestação de contas do Tribunal Superior Eleitoral mostra que, dos R$ 592,2 mil recebidos por ela, R$ 361 mil vieram da empresa Itatico Comércio de Alimentos. A Operação Trick cumpriu, em abril deste ano, 36 mandados de busca e apreensão e 32 mandados de condução coercitiva, que é quando o suspeito é levado para a delegacia para depor. Entre os investigados estavam deputados, funcionários do Banco do Brasil e laranjas. A polícia identificou 55 empresas fantasmas, que pegavam empréstimos. O dinheiro entrava na conta dos suspeitos, que usavam notas frias para comprovar os gastos. O prejuízo é estimado em R$ 100 milhões. Nas escutas telefônicas, Telma diz ao suposto operador do esquema que o gerente do banco disse não ser possível abrir a conta. “A vistoria foi lá, a superintendente não, como é que fala, foi lá e a empresa não existe, o galpão tá fechado (sic).” A polícia diz considerar que a conversa deixa claro que Silva e a deputada montaram uma empresa de gaveta para pegar empréstimos. O Partido Pátria Livre disse que a deputada está suspensa desde 8 de maio. A medida vale por 60 dias, mas pode ser prorrogada. A comissão de ética do partido analisa um processo de expulsão. Apesar disso, Telma Rufino continua trabalhando normalmente na Câmara Legislativa. A Terracap informou em nota que a deputada já esteve na empresa para discutir assuntos fundiários, mas nega que tenha falado do lote em Ceilândia. De acordo com a empresa, o terreno não pertence à Terracap.

G1.

terça-feira, 16 de junho de 2015

ESTÁDIO: ESTA OBRA CUSTOU CARO

O Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região condenou o Consórcio Brasília 2014, responsável pela construção do Estádio Nacional Mané Garrincha, a pagar R$ 5 milhões por danos morais coletivos. Segundo a decisão do juiz Ricardo Machado Lourenço Filho, há provas que comprovam irregularidades que contribuíram para a ocorrência de vários acidentes de trabalho, incluindo a morte do operário José Afonso de Oliveira Rodrigues, em 2012. De acordo com o magistrado, houve negligência dos réus. "O conjunto probatório demonstra que os réus deixaram de observar diversas normas de segurança e medicina do trabalho. O Consórcio, em especial, ignorou várias regras, mesmo após a ocorrência do acidente que vitimou o operário José Afonso. O réu não atendeu, de forma adequada, os atos normativos que exigem a adoção de medidas preventivas quanto aos riscos do ambiente de trabalho”, declarou na sentença. A construção do estádio contou com 3,6 mil funcionários, entre operários contratados diretamente pelo consórcio e trabalhadores de empresas de prestação de serviço. Durante as obras, o Ministério do Trabalho lavraram um total de 69 autos de infração em face do Consórcio.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

CELINA FORA DA BASE. ALGUÉM ACREDITA?

A reunião entre o governador Rodrigo Rollemberg e os integrantes do PDT acabou com a promessa de que o partido será mais ouvido. De acordo com o deputado distrital Reginaldo Veras, haverá reuniões quinzenais ou semanais de consulta sobre os projetos que o Buriti pretende tocar. Participaram da reunião, no gabinete do governador, os deputados distritais Reginaldo Veras, Joe Valle e Celina Leão, o senador Cristovam Buarque, o secretário do Trabalho George Michel e o secretário de Relações Institucionais, Marcos Dantas. O novo chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio, ficou de fora. Celina continuará fora da base, por ora. "Estamos profundamente incomodados. A gente se sente alijado do governo. O PDT foi fundamental no processo eleitoral e deixou de ser no governo. Todo mundo concorda que o PDT deve ser ouvido. O governador já tinha percebido", disse Veras, após o encontro. Segundo o distrital, ficou decidido que o partido continuará na base, "mas com responsabilidade". "O que não for benéfico para a cidade, não aprovaremos", disse. Veras afirmou também que foi marcada uma reunião do partido com todos os secretários e administradores regionais, ainda sem data. "De todos os secretários, o senador Cristovam só conhece seis", reclama. Veras disse, ainda, que o partido não foi consultado sobre a indicação de Sérgio Sampaio à chefia da Casa Civil.